Archive for the ‘CIB’ category

Caçar baleias é crime – história completa!

março 24, 2009

Conheça a história completa das ativistas Junichi e Toru, presos por denunciar a caça de baleias.

Ontem, foi um das fase do julgamento, e nada ainda foi resolvido. Eles estão em fase de ouvir testemunhas.

Os únicos que perdem com essa demora são os ativistas e as baleias, que continuam sendo caçadas coma a desculpa esfarrapada de “fazer ciência”.

Anúncios

Caçar baleias com o nosso dinheiro não!

março 8, 2009

Começa a contagem regressiva para a reunião da Comissão Internacional da Baleia, que esse ano será realizada na Ilha da Madeira.

Após as discussões que aconteceram no Chile, em 2008, ficou acordado que seriam realizadas 4 reuniões preparatórias e interseccionais para encontrar uma melhor forma de encaminhar o assunto. Já que atualmente a Comissão Internacional da Baleia (CIB), é um dos órgãos internacionais com mais impasse.

De um lado os países a favor da caça, querendo a NORMALIZAÇÃO DA CAÇA DA BALEIA e do outro os países pró-conservação, que querem a MODERNIZAÇÃO da Comissão Internacional da Baleia, ou seja, um órgão para a preservação da baleias e não para a destruição.

Esse mês de março, em Roma, será realizado a reunião interseccional, e diante da crise que o país japonês vem enfrentando, chega a ser um absurdo gastar 1.2 bilhões de yen (aprox 10 milhoes de euros) como subsidio para atividade de caça de baleias. Sendo que esse dinheiro vem dos impostos pagos pela sociedade japonesa, que nada ganha com essa atividade “comercial” disfarçada de ciência.

Australia investe 6 milhões de dólares para salvar as baleias

novembro 18, 2008

Após a decisão de não colocar os barcos na água e ir para a Antártica documentar a caça comercial disfarçada de ciência e subsiada pelo governo japonês.

O Primeiro Ministro Peter Garret anunciou ontem que investirá 6 milhões de doláres em programas de conservação e pesquisa não-letal.

 

Ahhh se as prioridades do governo brasileiro também fossem essas e se investissem em nosso trabalho de pesquisa não-letal e para mais programas de conservação. Ou talvez na implementação e criação de áreas marinhas protegidas voltadas a proteger a biodiversidade, como Abrolhos e a Reserva da Babitonga (SC).

Iremos acompanhar as próximas notícias…

JAPÃO contra ataca novamente

setembro 25, 2008

A Agência de Pesca do Japão continua (ou melhor nunca parou), de recrutar mais países através da compra de votos. O último a entrar para a lista foi Eritrea, neste mês.

Agora a Comissão Internacional da Baleia conta com  82 países membros. Como resultado dessas últimas adesões (leia-se compra de votos), agora temos 40 países contra caça e 37 a favor da caça.

Com isso podemos esperar que até a próxima reunião, muitos outros países sejam recrutados, outros possam desistir de participar e assim não é possível predizer qual dos lados terá a maioria por lá.

O que isto significa???? Que temos que pressionar ainda mais nosso governo para que ele realize as gestões diplomáticas para trazer mais países para o nosso lado ou desligue outros que estejam do lado do Japão.

Contra caça: Argentina, Australia, Austria, Béligica, Brasil, Chile, Costa Rica, Croácia, Ciprus, Republica Tcheca, Equador, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Guatemala, Hungria, India, Irlanda, Israel, Itália, Luxemburgo, Mexico, Monaco, Holanda, Nova Zelandia, Panamá, Peru, Portugal, Romenia, San Marino, Republica Eslovenia, África do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Reino Unido, Uruguai e Estados UNidos.

A favor da caça: Antigua e Barbuda, Benin, Camboja, Camarões, China, Congo, Costa do Marfim, Republica Dominicana, Eritrea, Gabão, Gambia, Guine-Bissau, Nova Guine, Islandia, Japão, Kiribati, Corea, Laos, Mali, Ilhas Marshal, Mauritania, MOngolia, Marrocos, Nauru, Noruega, Palau, Russia, St Kittis e Nevis, St Lucia, St Vicent e Grenadines, Senagal, Ilhas Salomão, Suriname, Tanzania, Togo e Tuvalu.

Dinamarca e Omâ : pendentes

Talvez não compareçam: Belize, Guatemala e Kenia.

O governo brasileiro deveria realizar as corretas gestões diplomáticas com países africanos para que estes votassem pela conservação ou ao menos se abstessem das votações.


				

Primeiro Ministro FUKUDA renuncia

setembro 1, 2008
Sr. Yasuo Fukuda

Sr. Yasuo Fukuda

O Primeiro Ministro do Japão Yasuo Fukuda renunciou, é o que diz o New York Times de hoje. Agora ele é o segundo líder que renuncia em menos de 1 ano, ameaçando a política japonesa.

Isso não significa que teremos eleições. Mas já existem alguns candidatos a vaga. O principal problema da gestão de Fukuda foi a divisão do parlamento.

Tudo nos leva a crer que o sucessor será da mesma linha de Fukuda e apoiar a atividade de caça. Mas vamos observar os próximos passos.

Se você esqueceu das baleias… nós não esquecemos!

agosto 27, 2008

Quando eu retornei do Chile, da reunião da Comissão Internacional da Baleia, contei a vocês todos os resultados e frustações (graças a Rosi e o Rafa Ventura nosso histórico já está neste blog!).

Enfim, como todos os governos aparentemente decidiram encontrar uma melhor forma para encaminhar a discussões na Comissão Internacional da Baleia. Para isso decidiram criar um grupo de trabalho e agendar 4 reuniões prévias a reunião anual da Comissão Internacional da Baleia.

A primeira reunião deste pequeno grupo de trabalho será de 15 a 16 na Flórida e serão discutidos lá 33 assuntos que foram levantados no Chile. Essa é uma reunião fechada a membros do governo, ou seja, ongs como nós não somos convidades, nem como obsevadores. Essa primeira reunião não pode ter nenhuma decisão, mas as demandas serão discutidas no encontro interseccional, provavelmente em fev/mar 2009.

Após o interseccional o grupo de trabalho será direcionado para resolver os desacordos da CIB e desenvolver um relatório final que será distribuído 5 semanas antes da próxima CIB na Ilha da Madeira.

São 25 países que estarão presentes no primeiro encontro do grupo de trabalho, incluindo o Brasil.

Estaremos acompanhando todo o desenrolar desta história… o que não podemos permitir é que o Santuário de Baleias do Atlântico Sul fique fora deste novo processo de encaminhamento.