Arquivo para julho 2008

Secretaria da Pesca vira ministério e ganha 200 cargos

julho 30, 2008

Lá vai o governo Lula mostrando a cara desenvolvimentista. Sempre visando o desenvolvimento econômico, Lula transforma agora a Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, que já possuía status de Ministério, em um verdadeiro Ministério.

Segundo matéria publicada pelo Estadão online, o primeiro impacto da mudança será na quantidade de funcionários efetivos e cargos de confiança. De imediato, os 200 funcionários da secretaria passarão a ser, no ministério, por concurso, 400 servidores.

Além disso, visam também aumentar a frota pesqueira e substituir embarcações velhas por novas com capacidade maior de pesca.

Lula considerou “uma vergonha que o Brasil, com 8,5 milhões de quilômetros quadrados, 8 mil quilômetros de costa e 190 milhões de habitantes, só pesque 1 milhão de toneladas de peixe por ano”. Para comprovar a “vergonha”, citou os casos do Peru, que pesca nove vezes mais e só tem 27 milhões de habitantes, e do Chile, que tem uma população de apenas 13 milhões de habitantes e pesca o dobro do Brasil.

Acho que o que o nosso presidente quando nos compara com países como Peru e Chile não está levando em conta que o Brasil é rico em biodiversidade, mas não em quantidade de recursos pesqueiros. E é, justamente por isso que estamos com 80% dos nossos recursos pesqueiros em extinção.

Com a criação do ministério e todas as funções serem agora sua atribuição está mais do que na cara que ninguém mais pensará em conservação dos recursos e nem na sustentabilidade dos recursos marinhos.

Greenpeace soltando os bichos na Paulista

julho 28, 2008

Semana passada estivemos soltando bichos do mar na Paulista.

Verdade, mais de 5 animais marinhos caminharam em horário de pico pela Av. Paulista. Foi muito engraçado e ainda mais, comprovou nossa teoria. As pessoas são pouco informadas sobre o mar, e ainda apresentam de leve um descaso.

Greenpeace na Av Paulista

Greenpeace na Av Paulista

Foi uma experiência muito legal, por que envolveu muita gente do escritório:

Tubarão:André Sato ( estagiário de designer)

Polvo: Ursula (gerente de RH)

Peixe: Isabella (estágiária de RH)

Lula: Dani (coordenadora de Marketing e Fundraising)

Baleia: Caio (atendimento)

Tartaruga: Emerson (gerente financeiro)

Em uma das ocasiões, e na minha opinião a mais engraçada, foi quando a Ursula (Rh) estava transitando com sua fantasia de polvo e um transeunte parou e disse “Abelhinha, você deve fazer um mel gostoso, abelhinha”.

Pude perceber que quando a baleia e o tubarão saia as ruas todo mundo dizia “OLha o tubarão!!!”. Mas bastava colocar a lula e o polvo, que ninguém mais sabia que bicho que era.

Vamos informar esse povo…. para que eles conheçam o polvo.

Esse material todo vai ser usado para produzir um vídeo, feito pela Mari e Felipe. Logo logo teremos novidades…. está chegando o dia de lançar a campanha e sair jogando água salgada por aí.

Seguimos… navegando pelo mundo, tentando salvar os oceanos.

Encontrados ovos da última tartaruga gigante de Galápagos

julho 28, 2008

Interessante matéria que saiu hoje no Estadão.com.br. Além de ser interessante por tratar das tartarugas gigantes de Galápagos, me fez lembrar meu grande amigo Jorge. Sim, Jorge, é o nome da última tartaruga gigante de Galápagos, que após ter sido rejeitado por 36 anos pelas fêmeas, ganhou uma nova oportunidade.

Calma, calma… não quis dizer que nosso querido jornalista Jorge está sendo rejeitado pelas fêmeas. rsrsrs Apenas, foi uma nova forma de eu conseguir importuná-lo.

Funcionários do Centro de Reprodução em Cativeiro do Parque Nacional Galápagos (PNG) no Equador encontraram três ovos fecundados por um macho de tartaruga gigante galápago, único sobrevivente de sua espécie, informou nesta terça-feira, 22, a instituição.

O achado leva a crer que há possibilidade de salvar a espécie Geochelone abigdoni, ou tartaruga gigante, que vive na ilha Pinta, no arquipélago de Galápagos, há cerca de mil quilômetros da costa do Equador.

A tartaruga gigante, que é chamada de “Solitário Jorge”, vive desde 1972 em cativeiro no centro em companhia de várias fêmeas de outras espécies, que o rejeitaram por 36 anos.

O arquipélago deve seu nome às grandes tartarugas, e suas reservas terrestres e marinhas contêm uma rica biodiversidade.

Então como dizia Jorge Ben ” SALVE JORGE, SALVE JORGE”.

Apenas um momento nostálgico…

julho 28, 2008

Após trabalhar, pensar, divagar, planejar o lançamento da Campanha de Oceanos do Greenpeace. Resolvi navegar um pouco pela internet com o objetivo de pensar em outra coisa. Eis que leio o email de Luciano Candisani, um excelente fotografo e que nos deu importante apoio para a Campanha. O email dizia:

“…Acho que você vai gostar do post atual. É sobre mar, e mar gelado, na Antártica, onde você já esteve.
Relato o início da carreira, fotografando o mar debaixo do gelo. Dá uma olhada…”
Curiosa…lá fui eu checar o post. E agora posso dizer que meu domingo foi realmente nostálgico. Após ver as belissimas fotos que ele tirou na região Antártica, próximo ao estreito de Drake, eu realmente me senti, o que podemos chamar de ship sick em outras palavras… morrendo de saudades da vida embarcada lutando contra a caça de baleias na Antártica.
E por mais incrível que pareça, passei pela mesma experiência do Luciano. Antes de viajar comprei minha primeira máquina, e lá fui eu com o objetivo de tirar muitas fotos de baleias e mostrar ao governo japonês que podemos fazer pesquisa sem matar baleias. Amei a experiência que foi apenas a cima d´água.
E assim resolvi pegar os albuns de fotos, acessar o site ler matérias, rever os vídeos… foi muito bom!
Seguem abaixo algumas de minhas primeiras fotos.
Vista da janela

Vista da escotilha da minha cabine

Primeiro iceberg da viagem

Primeiro iceberg da viagem

E para fechar uma lindissima foto de Jiri Rezac, nosso fotografo a bordo.

Confira também as fotos de Luciano Candisani.

Está chegando ENTRE NESSA ONDA!

julho 27, 2008

Estava eu aqui, em pleno domingo a noite, e cheguei a conclusão que, daqui a duas semanas estaremos lançando a campanha de oceanos. QUe emoção e expectativa!

A vingança das baleias pilotos

julho 27, 2008

É, parece que nada nessa vida vem sem troco.

Há 2 meses venho recebendo emails de colaboradores, voluntários, cyberativistas e outros cidadãos indignados com a tal caça “aborigene” realizada nas Ilhas Faroe (Dinamarca). Tal matança indiscrimimada é considerada parte da cultura da população da Ilha, quando os homens matam as baleias pilotos para simbolizar a passagem para a vida adulta.

Mas, agora, chegaram a conclusão que muitos estão ficando doentes e contaminados. É o que revela a matéria da REUTERS.

Indiana Tata apresenta o Nano, o carro mais barato do mundo

julho 24, 2008

Estava eu, esta semana conversando com a Joanna, nossa nova coordenadora de web e ela me contou que a pessoa responsável pela parte de web na India havia a procurado para um apoio em uma campanha pedindo para a TATA group parar com a construção de um porto em área de reprodução de tartarugas marinhas.

Pois é… nesse mesmo momento ela perguntou para o André, nosso designer, se ele sabia o que era a TATA. E ele simplesmente respondeu “Batata???”.

Parece muito engraçado, mas não é. A maioria dos brasileiros ainda não sabe o que é a TATA.

E você??? Sabe o que é a TATA?
TATA é o TATA group, uma multinacional indiana, em fase crescimento e que vem se tornando uma marca global. Pois é, em janeiro de 2008, a TATA anunciou sua chegada ao Brasil, com o NANO, o carro mais barato do mundo, custando apenas 2,5 mil doláres.

Não se iludam, a TATA apesar de se considerar ambientalmente correta está construindo um porto, no entorno de uma reserva marinha na India, em área de reprodução de tartarugas marinhas.
Agora voccê já conhece a TATA… e poderia assinar contra esse absurdo.

Afinal, no Brasil nossas tartarugas estão super protegidas e já em fase de recuepração. Agora vamos tambpem ajudar a salvar a tartaruga dos outros também.

Beijos

lelê

ps: isso sem falar que um carro desses tão barato, ia aumentar o transito, o número de carros e de poluentes, contribuindo para o aquecimento global.